Poema da Semana: “Escuridão”

Versão na Língua Inglesa

Escolhi a escuridão como meu paradeiro
Um lugar onde o medo não tem uma face visível
Onde não percebo as sombras quem seguem meu rastro
E não posso ver os sinistros dedos que rasgam minha pele

Escolhi a escuridão como meu último refúgio
Um lugar onde o frio e a chuva não cessam
Onde escuto os perturbadores sussurros de um lugar putrefato
E sinto o silencioso toque da loucura dominando-me lentamente

Escolhi a escuridão como meu esconderijo
Um lugar onde ninguém será capaz de me achar
Onde dor e sofrimento serão diluídos no negror absoluto
E as memórias desaparecerão, engolidas pelo isolamento

Escolhi a escuridão como minha última morada
Um lugar onde a fé não pode ser restaurada com palavras
Onde os olhos dos anjos queimam e os corações dos demônios gelam
E espíritos vagam aleatoriamente, desconectados de qualquer
crença

Escolhi a escuridão desde que a luz me foi negada

©2004 Eduardo Magela Rodrigues

Anúncios

Um comentário em “Poema da Semana: “Escuridão”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s