Poema da Semana: “Ninguém”

Versão na Língua Inglesa

Ninguém sabe quando a noite cairá
quando as estrelas não brilharão
quando o amor virá
quando o sol se obscurecerá

Se ouvires um grito na noite
E sentires teu coração encolher
Saibas que não estarei lá
Saibas que não estarei aqui
Porque ninguém sabe realmente o que é dor, somente eu

Ninguém sabe quando o fim virá
quando a paixão cessará
quando chamarei teu nome novamente
quanto meu coração sofrerá por ti

Se vires um homem solitário a noite
E sentires o sofrimento dele dentro de ti
Saibas que não serei ele
Saibas que não estarei sozinho
Porque ninguém sabe realmente quem eu sou, somente eu

Se quiseres me ligar algum dia
E sentires tuas mãos tentando me alcançar
Saibas que não serei mais o mesmo
Saibas que não posso levar a culpa
Porque ninguém sabe realmente o que é amor, somente eu

©2004 Eduardo Magela Rodrigues

Anúncios

Música da Semana: “About Butterflies and Children”, Nosound

Esta música, composta pela banda italiana Nosound, foi lançada no álbum Lightdark, de 2008. A faixa, que é instrumental e tocada apenas com teclados, é uma das minhas favoritas pela bela sobreposição de camadas sonoras e as hipnotizantes notas desferidas ao longo da canção. Show!

Poema da Semana: “Ainda assim”

Versão na Língua Inglesa

Sinta meu interior
Escuro
Vazio
Frio
Ainda assim, o único lugar onde posso encontrar abrigo

Esqueça meu coração
Partido
Machucado
Dormente
Ainda assim, o valente guardião de minhas dores secretas

Deixe-me em paz
Não levante o pó do passado
Não desperte os fantasmas não enterrados que deixamos para trás
A parte mais profunda de meu âmago ainda queima
Ainda assim, é a única parte de mim que não destruíste por completo

©2007 Eduardo Magela Rodrigues

Dica de Série: “Friends”

friends

Exibida entre 1994 e 2004, “Friends” foi – por um longo tempo – a série mais famosa do mundo. O sitcom retratava a rotina de um grupo de amigos que vivia no bairro de Greenwich Village, na ilha de Manhattan, na cidade de Nova York. Produzidas em tempos pré-Netflix, a série ainda obtém altos níveis de audiência com suas reprises. Caracterizada pelo humor inteligente e sem apelações à vulgaridade, é uma excelente pedida para quem busca uma série de comédia de fácil digestão, especialmente para aqueles que nasceram antes da década de 1990.

Dica de Livro: “A Flor Negra”

A novela policial “A Flor Negra” é meu primeiro trabalho a ser publicado fisicamente. A trama narra a história do detetive Ricardo Rodrigues, que é designado para investigar um misterioso assassinato e acaba sendo acometido por alucinações à medida em que avança no caso.

O livro está disponível em formato e-book na Amazon. Por enquanto, a versão física somente pode ser adquirida comigo, através do endereço: eduardo@eduardo.rodrigues.nom.br.

Poema da Semana: “Ainda estou aqui”

Versão na Língua Inglesa

Eu não era a resposta que procuravas
As palavras não estavam em mim
Apenas os demônios

Eu não sou o homem perfeito que pensas que sou
Sou apenas um homem que erra
Como qualquer outro

Eu não seria a solução para os teus problemas
Embora eu deseje ser

Eu não serei a ajuda que necessitas
Eu também preciso dela

Eu não seria quem realmente mereces
Mas ainda estou aqui
Ao seu lado

©2004 Eduardo Magela Rodrigues

Música da Semana: “Charlie”, Loscil

É realmente curioso como nossos gostos musicais vão se ampliando à medida em que vamos amadurecendo. Fui um ávido consumido de heavy metal na adolescência e nos meus vinte e poucos anos. Após os 30, aprendi a gostar de rock progressivo e, nos últimos anos, comecei a apreciar a beleza das músicas instrumentais, das mais diversas vertentes.

A faixa “Charlie” é um exemplo disto. Presente no álbum “Plume“, lançado pelo músico canadense Scott Morgan – sob o pseudônimo Loscil – em 2006, ela é uma minhas músicas favoritas quando desejo desacelerar os pensamentos e relaxar um pouco. Ouça com fones de ouvido!

Dica de Livro: “A Dama das Camélias”

a_dama_das_camélias

Retirado da Wikipedia (https://pt.wikipedia.org/wiki/La_dame_aux_cam%C3%A9lias):

Romance do escritor francês Alexandre Dumas Filho, publicado pela primeira vez em 1848, “A Dama das Camélias” tem cunho autobiográfico. Dumas Filho inspirou-se em suas próprias relações com a cortesã Marie Duplessis, e ainda no fato de ser ele próprio filho ilegítimo de Alexandre Dumas. Experimentando a rejeição, encontrou ao lado da amante a estabilidade que necessitava, e que veio a ser-lhe o mote para o romance.

A obra é ambientada na revolução de 1848, na França. Retrata o romance entre Margarita Gautier, a mais cobiçada cortesã parisiense, e Armando Duval, um jovem estudante de Direito.

O jovem Armando pertence à uma família aristocrática da Paris do século XIX. Ele apaixona-se pela cortesã Marguerite. Mesmo diante da intolerância de sua família e do preconceito social, eles tentarão viver sua história de amor.


Excelente obra, muito bem escrita por Alexandre Dumas Filho, que retrata bem a França daquela época, em termos de costumes e hábitos. Recomendo!