Música da Semana: “Pigs (Three different Ones)”, Pink Floyd

Parte do álbum “Animals”, lançado em 1977, “Pigs” se estende por 11:26 e – na minha opinião – mostra o Pink Floyd em sua melhor fase. A canção é recheada de alternâncias de ritmos e de camadas sonoras que culminam num sensacional solo de guitarra.

Anúncios

Música da Semana: “Refuge”, Steven Wilson

Integrante do álbum “To the Bone“, lançado em 2017, “Refuge” fala sobre os refugiados de guerra. A intensidade da música e da letra cresce com o decorrer do tempo até culminar num emocionante solo de gaita, para depois retornar a leveza do início. Uma boa pedida para os fãs de rock progressivo.

Dica de Filme: “Regras da Vida”

Retirado do site Adoro Cinema (http://www.adorocinema.com/filmes/filme-23319/):

Baseado no best-seller de John Irving, a história de Homer Wells (Tobey Maguire), um garoto sem parentes que passa a ter como mentor um médico de um orfanato, Dr. Wilbur Larch (Michael Caine). Larch ensina a Homer tudo o que sabe sobre medicina e a diferença entre certo e , mas nunca o ensinou as regras da vida propriamente ditas. Quando Homer sai para descobrir o mundo, ele aprende que ele é mais excitante do que jamais imaginara, especialmente quando se apaixona pela primeira vez. Entretanto, quando forçado a tomar decisões que irão influir para sempre em sua vida, percebe que no final das contas não pode fugir de seu passado.


Um excelente drama, com uma história envolvente.

Música da Semana: “Sweet Release”, Live

Parte do álbum “Birds of Prey“, lançado em 2003, Sweet Release é uma faixa que carrega os elementos que fizeram do Live umas das melhores bandas de rock alternativo entre a década de 90 e os primeiros anos deste século: belas letras, a combinação perfeita entre o instrumental e a voz inigualável de Ed Kowalczyk, bem como a alternância entre leveza e peso. As demais músicas do álbum também são excelentes, mas esta vale ser ouvida várias vezes.

Dica de Álbum: “Rattle That Lock”, David Gilmour

rattle-that-lock

David Gilmour é o meu guitarrista preferido. Ele, certamente, não é um dos músicos mais virtuosos do mundo, mas seu bom gosto nas composições e nos arranjos, sua criatividade e – principalmente – sua capacidade de valorizar cada nota em seus solos o tornam único. O álbum “Rattle That Lock“, seu quarto álbum de estúdio e lançado em 2015, é um excelente demonstração das habilidades de Gilmour. O disco é sensacional e destaco as faixas “Faces of Stones“, “A Boat Lies Waiting” e “And Then…