Dica de Livro: “Anna Karênina”, Liev Tolstói

Publicado em 1877 pelo escritor russo Liev Tolstói, “Anna Karênina” é considerados um dos mais importantes romances da Literatura Universal. O enredo conta a história da Anna Karênina, uma bela e rica mulher da alta sociedade russa, que se envolve em um caso extraconjugal com o Conde Alexei Vronsky, um bem-nascido oficial do exército russo.

Apesar de estar apaixonada por Vronsky, Anna hesita em se separar de seu marido – um alto oficial do governo -, em virtude das pressões da própria sociedade. Ela decide, então, fugir com seu amante, mas o relacionamento dos dois acaba ficando fora de controle, em decorrência da insegurança de Anna e do temperamento libertário de Vronsky.Além de tratar do drama da personagem principal, o livro de Tolstói cria um excelente retrato da sociedade russa do final do século XIX, que seria drasticamente modificada quarente anos depois, com o advento da Revolução Comunista.
Não se deixe desanimar pelo tamanho do livro, pois a história prende o leitor de uma maneira que as páginas vão se passando sem que você perceba.
Anúncios

Dica de Álbum: “Starkers in Tokyo”, Whitesnake

Lançado em 1998, “Starkers in Tokyo” – do Whitesnake – é um dos meus álbuns acústicos preferidos, perdendo apenas para “Alice in Chains – MTV Unplugged”. O disco é, na verdade, a gravação de um show de voz e violão feito na capital japonesa pelo vocalista David Coverdale e o guitarrista Adrian Vandenberg. A ausência de pedais e demais instrumentos permite que o ouvinte tenha uma perfeita noção de quanto Coverdale canta, sem fazer qualquer tipo de esforço (em contraste com outros vocalistas de diversos gêneros). O álbum é uma coleção de hits da banda, mas destaco “Sailing Ships”, “Love Ain’t No Stranger” e “The Deeper The Love”. Escute e se encante com a performance de uma das mais belas vozes do rock mundial.

#dicadealbum #música #rock #whitesnake #acústico

Dica de Filme: “Extraordinário”

extraordinario

Lançado em 2017, “Extraordinário” conta a história de August “Auggie” Pullman (Jacob Tremblay), um garoto que nasceu com uma séria deformação facial e é obrigado a fazer 27 cirurgias plásticas, em seu primeiro ano numa escolar regular. A narrativa é focada nas aventuras e desventuras de Auggie, mostrando como ele lida com o inevitável bullying e com o período de socialização com outras crianças. Todavia, há uma interessante exploração das personagens secundárias, que ajudam bastante na narrativa e ressaltam o fato de que, na grande maioria das vezes, os desentendimentos do cotidiano são fruto da simples falta de comunicação.
“Extraordinário” é um excelente filme do tipo “família” e que deixa no expectador aquela sensação de “ainda existe bondade no mundo”, tão necessária nos dias de hoje.

Dica de Àlbum: “The Distance to Here”, Live

the-distance-to-here

O “Live” é uma de minhas bandas de rock alternativo prediletas, em decorrência da originalidade do som, o lirismo das letras e o voz ímpar de Ed Kowalczyk. “The Distance to Here” – quarto álbum de estúdio do conjunto norte-americano, lançado em 1999 – é meu álbum favorito, devido aos vocais especialmente energéticos de Kowalczyk canta, as belas letras e o instrumental bem afinado da banda. Gosto de todas as faixas do álbum, mas destaco a animada “The Dolphin’s Cry”, a pesada “Sparkle”, bem como as contemplativas “Run to the Water”, “Where Fishes Go” e “Face and Ghost (The Children’s Song)”. Se puder, confira também as letras!