Dica de Livro: “Sapiens: Uma Breve História da Humanidade”, Yuval Harari

sapiens

Sinopse retirada do site da Livraria Cultura:

O autor repassa a história da humanidade, ou do homo sapiens, desde o surgimento da espécie durante a pré-história até o presente, mas em vez de apenas ‘inventariar’ os fatos históricos, ele os relaciona com questões do presente e os questiona de maneira surpreendente. Além disso, para cada fato ou crença que temos como certa hoje em dia, o autor apresenta as diversas interpretações existentes a partir de diferentes pontos de vista, inclusive as muito atuais, e vai além, sugerindo interpretações muitas vezes desconcertantes. Disponível em https://www.livrariacultura.com.br/p/livros/historia/historia-mundial/sapiens-uma-breve-historia-da-humanidade-42865102


O livro é muito instigante e o estilo de escrita de Harari é elegante e fluido. Excelente recomendação de leitura para quem procura saber um pouco mais sobre a história de nossa espécie.

Anúncios

Dica de Livro: “Madame Bovary”, Gustave Flaubert

madame_bovary

Excerto retirado do site “Mundo dos Livros”:

“Madame Bovary” foi um livro que causou muito rebuliço na sociedade europeia. Sendo considerado “imoral e corruptor” para mocinhas de família. Isso sem falar que Flaubert foi processado pela Sexta Corte Correcional do Tribunal de Sena, pois tratava de um adultério. E pior, adultério feminino. Mas, como é comum da natureza humana, tal situação só serviu para alavancar as vendas do livro, tornando-o um dos principais romances do Século XIX. (continua)

Dica de Livro: “A Flor Negra”

A novela policial “A Flor Negra” é meu primeiro trabalho a ser publicado fisicamente. A trama narra a história do detetive Ricardo Rodrigues, que é designado para investigar um misterioso assassinato e acaba sendo acometido por alucinações à medida em que avança no caso.

O livro está disponível em formato e-book na Amazon. Por enquanto, a versão física somente pode ser adquirida comigo, através do endereço: eduardo@eduardo.rodrigues.nom.br.

Dica de Livro: “A Dama das Camélias”

a_dama_das_camélias

Retirado da Wikipedia (https://pt.wikipedia.org/wiki/La_dame_aux_cam%C3%A9lias):

Romance do escritor francês Alexandre Dumas Filho, publicado pela primeira vez em 1848, “A Dama das Camélias” tem cunho autobiográfico. Dumas Filho inspirou-se em suas próprias relações com a cortesã Marie Duplessis, e ainda no fato de ser ele próprio filho ilegítimo de Alexandre Dumas. Experimentando a rejeição, encontrou ao lado da amante a estabilidade que necessitava, e que veio a ser-lhe o mote para o romance.

A obra é ambientada na revolução de 1848, na França. Retrata o romance entre Margarita Gautier, a mais cobiçada cortesã parisiense, e Armando Duval, um jovem estudante de Direito.

O jovem Armando pertence à uma família aristocrática da Paris do século XIX. Ele apaixona-se pela cortesã Marguerite. Mesmo diante da intolerância de sua família e do preconceito social, eles tentarão viver sua história de amor.


Excelente obra, muito bem escrita por Alexandre Dumas Filho, que retrata bem a França daquela época, em termos de costumes e hábitos. Recomendo!

Dica de Livro: “Moll Flanders”

moll_flanders

Retirado do site da Livraria Cultura:

As aventuras e desventuras da famosa MollFlanders & Cia.Que nasceu na prisão de Newgate, e ao longo de uma vida de contínuas peripécias, que durou três vintenas de anos, sem considerarmos sua infância, foi por doze anos prostituta, por doze anos ladra, casou-se cinco vezes (uma das quais com o próprio irmão), foi deportada por oito anos para a Virgínia e, enfim, enriqueceu, viveu honestamente e morreu como penitente.Escrito com base em suas próprias memórias. Com um subtítulo bastante abrangente, este livro de Daniel Defoe foi publicado em 1722, quando ele já era um escritor de talento reconhecido depois do sucesso de Robinson Crusoé (1719). Suposta autobiografia de uma criminosa que teria vivido no séc. XVII, narra as peripécias de alguém que sempre procura tirar vantagens das situações, como que a anunciar o capitalismo desenfreado que viria à tona logo mais.

Disponível em: http://www.livrariacultura.com.br/p/livros/literatura-internacional/romances/moll-flanders-42875814

Excelente livro, escrito de maneira bastante fluida.

Dica de Livro: “A Outra Volta do Parafuso”, Henry James

a-outra-volta-do-parafuso

Retirado de http://www.companhiadasletras.com.br/detalhe.php?codigo=85031:

A outra volta do parafuso conta a história da jovem filha de um pároco que, iniciando-se na carreira de professora, aceita mudar-se para a propriedade de Bly, em Essex, arredores de Londres. Seu patrão é tio e tutor de duas crianças, Flora e Miles, cujos pais morreram na Índia, e deseja que a narradora (que não é nomeada) seja a governanta da casa de Bly. Ao chegar a Essex, a jovem logo percebe que duas aparições, atribuídas a antigos criados já mortos, assombram a casa. O triunfo íntimo da protagonista, mais que desvendar o mistério de Bly, consiste em vencer o silêncio imposto pela diferença de condição social entre ela e seus pequenos alunos.

Narrativa envolvente e bem construída, “A outra volta do parafuso” é uma excelente opção para quem procura um livro pequeno e bem escrito.

Dica de Livro: “Os Filhos de Húrin”, J. R. R. Tolkien

filhos_de_hurin

Muito antes da era de O Senhor dos Anéis, Morgoth, o primeiro Senhor do Escuro, lança uma terrível maldição contra toda a família de Húrin, o homem que tinha ousado desafiá-lo frente a frente. Assim, os destinos de Túrin e de sua irmã Niënor serão tragicamente entrelaçados. A vida breve e apaixonada dos dois irmãos é dominada pelo ódio de Morgoth, que envia seu mais temível servo, Glaurung, poderoso espírito na forma de um enorme dragão de fogo sem asas, numa tentativa de cumprir sua maldição e destruir os filhos de Húrin. (Retirado de http://www.saraiva.com.br/os-filhos-de-hurin-2851925.html)

Um livro em tom sombrio, mas muito poderoso. Imperdível para os fãs de Tolkien.

Dica de Livro: “Anna Karenina”, Liev Tolstoi

anna_karenina

Da Wikipedia:

Anna Karenina é um romance do escritor russo Liev Tolstói. A história começou a ser publicada por meio da revista Ruskii Véstnik (O mensageiro russo), entre janeiro de 1875 e abril de 1877, mas seu final não chegou a ser publicado nela por motivos de desacordo entre Tolstói e e o seu editor, Mijaíl Katkov, sobre o final do romance. Portanto, a primeira edição completa do texto apareceu em forma de livro ainda em 1877.

É uma das obras mais destacadas do realismo literário. Para Tolstói, foi o seu primeiro verdadeiro romance, e considera sua obra Guerra e Paz como mais que um romance. O escritor Fiódor Dostoiévski considera o Anna Karenina como “impecável como obra de arte”, opinião compartilhada também por Vladimir Nabokov que a considera como “a impecável mágica do estilo de Tolstói” e por William Faulkner que considera o romance como “o melhor já escrito”. O romance continua entre as mais populares da história, como demonstrado por uma enquete com 125 autores contemporâneos feita por J. Peder Zane, em 2007, e publicada na revista Time, que declarou que Anna Karenina é o maior romance já escrito.”

Retirado de https://pt.wikipedia.org/wiki/Anna_Karenina

Dica de Livro: “A Revolução dos Bichos”

a-revolucao-dos-bichos

Retirado do site da livraria Saraiva:

Verdadeiro clássico moderno, concebido por um dos mais influentes escritores do século 20, ‘A Revolução dos Bichos’ é uma fábula sobre o poder. Narra a insurreição dos animais de uma granja contra seus donos. Progressivamente, porém, a revolução degenera numa tirania ainda mais opressiva que a dos humanos. Escrita em plena Segunda Guerra Mundial e publicada em 1945 depois de ter sido rejeitada por várias editoras, essa pequena narrativa causou desconforto ao satirizar ferozmente a ditadura stalinista numa época em que os soviéticos ainda eram aliados do Ocidente na luta contra o eixo nazifascista. De fato, são claras as referências: o despótico Napoleão seria Stálin, o banido Bola-de-Neve seria Trotsky, e os eventos políticos – expurgos, instituição de um estado policial, deturpação tendenciosa da História – mimetizam os que estavam em curso na União Soviética. Com o acirramento da Guerra Fria, as mesmas razões que causaram constrangimento na época de sua publicação levaram A revolução dos bichos a ser amplamente usada pelo Ocidente nas décadas seguintes como arma ideológica contra o comunismo. O próprio Orwell, adepto do socialismo e inimigo de qualquer forma de manipulação política, sentiu-se incomodado com a utilização de sua fábula como panfleto.

http://www.saraiva.com.br/a-revolucao-dos-bichos-1574783.html

Dica de Livro: “O Retrato de Dorian Gray”, Oscar Wilde

o_retrato_de_dorian_gray

Da Wikipedia:

O Retrato de Dorian Gray (em inglês: The Picture of Dorian Gray) é um romance filosófico do escritor e dramaturgo Oscar Wilde. Publicado pela primeira vez como uma história periódica em julho de 1890 na revista mensal Lippincott’s Monthly Magazine, os editores temiam que a história fosse indecente, e sem o conhecimento de Wilde, suprimiram cinco centenas de palavras antes da publicação. Apesar da censura, O Retrato de Dorian Gray ofendeu a sensibilidade moral dos críticos literários britânicos, alguns dos quais disseram que Oscar Wilde merecia ser acusado de violar as leis que protegiam a moralidade pública. Em resposta, Wilde defendeu agressivamente seu romance e arte em correspondência com a imprensa britânica.

Dorian Gray é o tema de um retrato de corpo inteiro em óleo de Basil Hallward, um artista que está impressionado e encantado com a beleza de Dorian; ele acredita que a beleza de Dorian é responsável pela nova modalidade em sua arte como pintor. Através de Basil, Dorian conhece Lorde Henry Wotton, e ele logo se encanta com a visão de mundo hedonista do aristocrata: que a beleza e a satisfação sensual são as únicas coisas que valem a pena perseguir na vida.

Entendendo que sua beleza irá eventualmente desaparecer, Dorian expressa o desejo de vender sua alma, para garantir que o retrato, em vez dele, envelheça e desapareça. O desejo é concedido, e Dorian persegue uma vida libertina de experiências variadas e amorais; enquanto isso seu retrato envelhece e registra todos os pecados que corrompem a alma.