Poema da Semana: “Muito Longe”

Versão na Língua Inglesa

Sinto meu corpo desabando
enquanto meus olhos embaçados ainda buscam-te

Não olharás para trás

Escuto o bater de meu coração ecoando no vazio
enquanto minhas mãos vacilantes ainda tentam tocar-te

Estás além de meu alcance

Sinto meu espírito se diluindo nas trevas
enquanto minha voz desesperada ainda chama-te

Estás muito longe

Estou desgastado pela dor
Exaurido pela distância
Desfeito pelo sofrimento
Sufocado pelas lembranças

Estás muito longe
Reclusa num local onde minhas palavras descontroladas não conseguem entrar

Estás muito longe
Carregando os últimos estilhaços de meu amor

Ainda assim, acredito que possas me salvar de algum modo

©2006 Eduardo Magela Rodrigues

Anúncios

Poema da Semana: “A Verdade Oculta”

Versão na Língua Inglesa
Não temo coisa alguma
Porque não acredito em coisa alguma
Caminho por aí
sugando a fé
destruindo as crenças
abrindo os olhos das pessoas
Sou a voz da verdade oculta

Assassinarei anjos
Não salvarei almas perdidas
Ignorarei os demônios
Abandonarei os santos
Destruirei o inferno

Não falarei por Deus
Não escreverei por Ele

©2005 Eduardo Magela Rodrigues

Poema da Semana: “Fragmentos”

Versão na Língua Inglesa

Restaram apenas fragmentos nossos
Resíduos de algo outrora sólido
Folhas espalhadas de uma árvore morta
Gotas enlameadas de um lago que seca
Pétalas putrefatas de uma flor esmagada
A última linha de uma carta de amor triturada

Restaram apenas fragmentos nossos
Uma amizade decrépita oriunda de uma paixão alucinante
Um tênue senso de consideção vindo de um amor estonteante
Palavras vazias vindas de uma parceria outrora indestrutível

Restaram apenas fragmentos nossos
porque algumas coisas não podem ser reparadas
quando suas essências são terrivelmente quebradas
e o respeito mútuo é completamente ignorado

Ambos sabemos que não podemos se reconstruídos

©2005 Eduardo Magela Rodrigues

Poema da Semana: “Choro”

Versão na Língua Inglesa

Não sei por que choras
Lágrimas não a trarão de volta
Apenas a afogarão

Não sei por que choras
Lágrimas não podem desfazer teus atos
Apenas transbordá-los

Não sei por que choras
Lágrimas não podem curar toda esta dor
Apenas torná-la mais forte

Não sei por que choras
Lágrimas não aliviarão teu coração
Apenas o enferrujarão

Não sei por que choras
Lágrimas não limparão tua sujeira
Apenas a transformarão em barro

©2005 Eduardo Magela Rodrigues

Poema da Semana: “Fale Comigo”

Versão na Língua Inglesa

Fale comigo
Perdi minha crença
Mas, mesmo nas névoas do pecado e do ceticismo
Sei que posso ser resgatado
Minha fé é uma tênue linha muito esticada
que fica cada vez mais fraca
Mas que pode ser restaurada
Apenas fale comigo

Fale comigo
Porque tanto sofrimento?
O fardo torna-se mais pesado a cada dia
Não consigo entender a razão para tudo isso
Mas ainda posso acreditar em Ti
Apenas fale comigo

Fale comigo
Não exijo um sinal claro
Apenas um relance de Tua presença será suficiente
Não preciso de uma palavra inteira, somente uma letra
Talvez eu esteja caminhando através das mais obscuras regiões do conhecimento
Mas não posso Te negar
Não posso Te culpar por minha falta de fé,
por esse mundo injusto que construímos
Não é culpa Tua
Então, apenas fale comigo

©2004 Eduardo Magela Rodrigues

Poema da Semana: “Tantas Vezes”

Versão na Língua Inglesa

Tantas vezes tive de ser mais forte do que realmente sou
e me ferir para não te machucar
Tantas vezes tive de ser mais sábio do que realmente sou
e me silenciar para não te quebrar por completo
Tantas vezes tive de ser quem eu não sou
e fingir para não destruir teus sonhos

Tantas vezes tive de desistir de meus próprios desejos
Poderias abrir mão dos teus algumas vezes?
Tantas vezes tive de esquecer que sou humano
Poderias ser algumas vezes?
Tantas vezes tive de ser teu último refúgio
Poderias ser o meu algumas vezes?

Tantas vezes estive lá por ti
Esteja aqui por mim pelo menos uma vez

©2007 Eduardo Magela Rodrigues

Poema da Semana: “Tempo”

Versão na Língua Inglesa

Procuramos respostas que ninguém possui
Falamos através do silêncio
Esperando por um momento que talvez não venha

Sorrimos quando todos choram
Avançamos em meio à tempestade
Procurando por um abrigo que talvez não exista

Apenas o tempo nos dirá se estamos certos

Caminhamos quando todos correm
Cruzamos terras desconhecidas
Tentamos reaver um momento que talvez não retorne

Acreditamos enquanto ninguém mais acredita
Talvez estejamos perdendo tempo
Alimentando um sonho que não se tornará real

Apenas o tempo nos curará se estivermos errados

©2005 Eduardo Magela Rodrigues

Poema da Semana: “Ninguém”

Versão na Língua Inglesa

Ninguém sabe quando a noite cairá
quando as estrelas não brilharão
quando o amor virá
quando o sol se obscurecerá

Se ouvires um grito na noite
E sentires teu coração encolher
Saibas que não estarei lá
Saibas que não estarei aqui
Porque ninguém sabe realmente o que é dor, somente eu

Ninguém sabe quando o fim virá
quando a paixão cessará
quando chamarei teu nome novamente
quanto meu coração sofrerá por ti

Se vires um homem solitário a noite
E sentires o sofrimento dele dentro de ti
Saibas que não serei ele
Saibas que não estarei sozinho
Porque ninguém sabe realmente quem eu sou, somente eu

Se quiseres me ligar algum dia
E sentires tuas mãos tentando me alcançar
Saibas que não serei mais o mesmo
Saibas que não posso levar a culpa
Porque ninguém sabe realmente o que é amor, somente eu

©2004 Eduardo Magela Rodrigues

Poema da Semana: “Ainda assim”

Versão na Língua Inglesa

Sinta meu interior
Escuro
Vazio
Frio
Ainda assim, o único lugar onde posso encontrar abrigo

Esqueça meu coração
Partido
Machucado
Dormente
Ainda assim, o valente guardião de minhas dores secretas

Deixe-me em paz
Não levante o pó do passado
Não desperte os fantasmas não enterrados que deixamos para trás
A parte mais profunda de meu âmago ainda queima
Ainda assim, é a única parte de mim que não destruíste por completo

©2007 Eduardo Magela Rodrigues

Poema da Semana: “Ainda estou aqui”

Versão na Língua Inglesa

Eu não era a resposta que procuravas
As palavras não estavam em mim
Apenas os demônios

Eu não sou o homem perfeito que pensas que sou
Sou apenas um homem que erra
Como qualquer outro

Eu não seria a solução para os teus problemas
Embora eu deseje ser

Eu não serei a ajuda que necessitas
Eu também preciso dela

Eu não seria quem realmente mereces
Mas ainda estou aqui
Ao seu lado

©2004 Eduardo Magela Rodrigues