Dica de Livro: “O Gigante Enterrado”, Kazuo Ishiguro

o-gigante-enterrado

Publicado em 2015, o “Gigante Enterrado” é um livro que narra a história de Axl e Beatrice. O casal de idosos – que vive numa aldeia permanentemente cercada por uma misteriosa névoa e que tem o estranho poder de apagar as lembranças – resolve viajar para se reencontrar com o filho e encontra diversos personagens interessantes: um barqueiro que é perseguido por uma velha louca; um poderoso guerreiro saxão; um menino atacado por ogros, uma misteriosa dragoa e sir Gawain, cavaleiro do Rei Artur. Escrito pelo escritor japonês Kazuo Ishiguro, laureado com o Prêmio Nobel de Literatura de 2017, o romance é uma interessante reflexão sobre a importância da memória. Este foi o meu primeiro contato com a prosa elegante de Ishiguro e afirmo que gostei bastante. Outro destaque é a bela produção gráfica da Editora Companhia das Letras. Fica a sugestão!

Anúncios

Dica de Livro: “As Brumas de Avalon”, Marion Zimmer Bradley

as-brumas-de-avalon

Série em quatro volumes escrita em 1979 pela escritora estadunidense Marion Zimmer Bradley, “As Brumas de Avalon”conta a história do Rei Artur e seus cavaleiros, a partir da ótica de personagens femininas. Assim, vemos a desenrolar de uma das mais famosas lendas mundiais através da perspectiva de Guinevere, Morgana e Morgause. Entre outros assuntos, a trama explora o universo da cultura pagã e o nascimento do cristianismo, homossexualidade masculina e feminina e os bastidores políticos. O estilo fluido de Marion e a estrutura textual da obra tornam a leitura da série, que ajudou a redefinir a lenda de Artur, bastante agradável. É impossível parar de ler.

Dica de Livro: “O Retrato de Dorian Gray”, Oscar Wilde

Publicado em 1890 pelo escritor e dramaturgo Oscar Wilde, “O Retrato de Dorian Gray” conta a história de um jovem que, vislumbrando que sua beleza física desaparecerá com o tempo, vende sua alma para não envelhecer. A partir daí, o corpo de Dorian passa a não mostrar sinais de envelhecimento, mas um retrato seu – pintado pelo artista Basil Hallward – passa a se deformar com cada ato imoral praticado pelo jovem ao longo de dezoito anos de uma vida dedicada à luxúria. Um livro polêmico e que retrata, brilhantemente, o quão superficiais nós podemos ser.

Dica de Livro: “The Electric State”, Simon Stalenhag

the-electric-state

Escrito e ilustrado pelo artista digital sueco Simon Stalenhag, o livro “O Estado Elétrico” – lançado em 2018 – conta a história de uma adolescente fugitiva e seu pequeno robô amarelo de brinquedo. A peculiar dupla viaja através de uma estranha paisagem americana onde as ruínas de gigantescos drones de combate cobrem o campo, junto com o lixo descartado de uma sociedade consumista de alta tecnologia viciada em um sistema de realidade virtual. A inquietante narrativa distópica de Stalenhag é acompanhada de ilustrações impressionantes. Uma obra fascinante, que combina, com maestria, palavras e imagens. Show!

Livro: “A Segunda Guerra Mundial – Os 2.174 Dias que Mudaram o Mundo”, Martin Gilbert

a-segunda-guerra-mundial.jpg

Escrito pelo historiador britânico Martin Gilbert, “A Segunda Guerra Mundial – Os 2.174 Dias que Mudaram o Mundo‎” é um livro fantástico. A obra narra – dia após dia – o desenvolvimento do maior conflito do século XX em todas as frentes, fornecendo ao leitor uma visão completa sobre a guerra. Além da linha cronológica, que permite compreender todos os movimentos dos exércitos envolvidos, Gilbert incluiu em seu texto relatos e correspondências, tanto dos principais atores quanto de soldados em campo, de sobreviventes e de testemunhas oculares das barbáries ocorridas ao longo do conflito. Show!

Dica de Livro: “Homo Deus”, Yuval Noah Harari

homo-deus
Na minha opinião, uma grande qualidade do historiador Yuval Noah Harari é sua capacidade de tratar de temas complexos de maneira cristalina e de fácil leitura. Similarmente ao que fez em “Sapiens”, seu livro anterior, o israelense aproveita o decorrer do texto para incluir diversas informações de outras áreas do conhecimento, enriquecendo o conteúdo da obra. O livro mostra como o Humanismo se estabeleceu como a grande religião moderna de facto. Primeiramente, porque se aproveitou do fato de que a Revolução Científica acabou minando todos os argumentos das demais crenças quanto à existência das divindades. Segundo, porque – segundo os argumentos de Harari – problemas como guerras, fome, doenças e a própria morte estão perdendo sua relevância com o avanço da ciência. Todavia, o insight mais interessante de “Homo Deus” é a tese de que nós, humanos, somos – na verdade – um complexo conjunto de algoritmos e que a próxima religião a obter o domínio global é o dataísmo. Baseando-se nisso, Harari afirma que os algoritmos que manipulam quantidades absurdas de dados serão as próximas divindades humanas. Excelente leitura, de uma das mentes mais interessantes da atualidade.
#instabook #dicadelivro #leitura #homodeus #yuvalharari

Dica de Livro: “Sapiens: Uma Breve História da Humanidade”, Yuval Harari

sapiens

Publicado em 2014, o livro “Sapiens: Uma Breve História da humanidade” foi escrito pelo historiador israelense Yuval Noah Harari. A obra é dividida em quatro seções (a saber: a Revolução Cognitiva, A Revolução Agrícola, A Unificação da Humanidade e A Revolução Científica), nas quais a história da humanidade é recontada, através da escrita elegante e fluida de Harari. O argumento central do livro é demonstrar que a capacidade de abstração foi crucial para que uma espécie tão frágil como a do homo sapiens conseguisse dominar o planeta, mesmo convivendo com animais muito mais fortes fisicamente. Uma leitura agradável e instigante, recomendada para quem procura saber um pouco mais sobre a nossa própria história.

Dica de Livro: “Madame Bovary”, Gustave Flaubert

madame_bovary

Excerto retirado do site “Mundo dos Livros”:

“Madame Bovary” foi um livro que causou muito rebuliço na sociedade europeia. Sendo considerado “imoral e corruptor” para mocinhas de família. Isso sem falar que Flaubert foi processado pela Sexta Corte Correcional do Tribunal de Sena, pois tratava de um adultério. E pior, adultério feminino. Mas, como é comum da natureza humana, tal situação só serviu para alavancar as vendas do livro, tornando-o um dos principais romances do Século XIX. (continua)

Dica de Livro: “A Flor Negra”

A novela policial “A Flor Negra” é meu primeiro trabalho a ser publicado fisicamente. A trama narra a história do detetive Ricardo Rodrigues, que é designado para investigar um misterioso assassinato e acaba sendo acometido por alucinações à medida em que avança no caso.

O livro está disponível em formato e-book na Amazon. Por enquanto, a versão física somente pode ser adquirida comigo, através do endereço: eduardo@eduardo.rodrigues.nom.br.

Dica de Livro: “A Dama das Camélias”

a_dama_das_camélias

Retirado da Wikipedia (https://pt.wikipedia.org/wiki/La_dame_aux_cam%C3%A9lias):

Romance do escritor francês Alexandre Dumas Filho, publicado pela primeira vez em 1848, “A Dama das Camélias” tem cunho autobiográfico. Dumas Filho inspirou-se em suas próprias relações com a cortesã Marie Duplessis, e ainda no fato de ser ele próprio filho ilegítimo de Alexandre Dumas. Experimentando a rejeição, encontrou ao lado da amante a estabilidade que necessitava, e que veio a ser-lhe o mote para o romance.

A obra é ambientada na revolução de 1848, na França. Retrata o romance entre Margarita Gautier, a mais cobiçada cortesã parisiense, e Armando Duval, um jovem estudante de Direito.

O jovem Armando pertence à uma família aristocrática da Paris do século XIX. Ele apaixona-se pela cortesã Marguerite. Mesmo diante da intolerância de sua família e do preconceito social, eles tentarão viver sua história de amor.


Excelente obra, muito bem escrita por Alexandre Dumas Filho, que retrata bem a França daquela época, em termos de costumes e hábitos. Recomendo!