Dica de Livro: “O Retrato de Dorian Gray”, Oscar Wilde

Publicado em 1890 pelo escritor e dramaturgo Oscar Wilde, “O Retrato de Dorian Gray” conta a história de um jovem que, vislumbrando que sua beleza física desaparecerá com o tempo, vende sua alma para não envelhecer. A partir daí, o corpo de Dorian passa a não mostrar sinais de envelhecimento, mas um retrato seu – pintado pelo artista Basil Hallward – passa a se deformar com cada ato imoral praticado pelo jovem ao longo de dezoito anos de uma vida dedicada à luxúria. Um livro polêmico e que retrata, brilhantemente, o quão superficiais nós podemos ser.

Anúncios

Dica de Livro: “O Retrato de Dorian Gray”, Oscar Wilde

o_retrato_de_dorian_gray

Da Wikipedia:

O Retrato de Dorian Gray (em inglês: The Picture of Dorian Gray) é um romance filosófico do escritor e dramaturgo Oscar Wilde. Publicado pela primeira vez como uma história periódica em julho de 1890 na revista mensal Lippincott’s Monthly Magazine, os editores temiam que a história fosse indecente, e sem o conhecimento de Wilde, suprimiram cinco centenas de palavras antes da publicação. Apesar da censura, O Retrato de Dorian Gray ofendeu a sensibilidade moral dos críticos literários britânicos, alguns dos quais disseram que Oscar Wilde merecia ser acusado de violar as leis que protegiam a moralidade pública. Em resposta, Wilde defendeu agressivamente seu romance e arte em correspondência com a imprensa britânica.

Dorian Gray é o tema de um retrato de corpo inteiro em óleo de Basil Hallward, um artista que está impressionado e encantado com a beleza de Dorian; ele acredita que a beleza de Dorian é responsável pela nova modalidade em sua arte como pintor. Através de Basil, Dorian conhece Lorde Henry Wotton, e ele logo se encanta com a visão de mundo hedonista do aristocrata: que a beleza e a satisfação sensual são as únicas coisas que valem a pena perseguir na vida.

Entendendo que sua beleza irá eventualmente desaparecer, Dorian expressa o desejo de vender sua alma, para garantir que o retrato, em vez dele, envelheça e desapareça. O desejo é concedido, e Dorian persegue uma vida libertina de experiências variadas e amorais; enquanto isso seu retrato envelhece e registra todos os pecados que corrompem a alma.